A REPOSIÇÃO HORMONAL.
FAZÊ-LA OU NÃO?


A reposição hormonal na mulher é polêmica.
Ainda é altamente controvertida em qualquer país do mundo, seja ele rico, ou não, em pesquisas científicas . E não faltam razões para tantos desentendimentos.
Nos anos 60, quando começa a ser usada, a reposição hormonal mostra claramente que o preço de se livrar das mazelas da menopausa se revela caro demais.

Em tempos de eficácia sem comprovação a reposição hormonal evidencia sérios efeitos colaterais.
Além do aumento da incidência do câncer de mama, dos ovários e do endométrio, aparecem outros sinais grandemente preocupantes: a hipertensão arterial, as doenças tromboembólicas (trombose das veias profundas com a formação de êmbolos, principalmente nas pernas), o aumento de peso e as alterações no metabolismo da glicose .

Os hormônios sintéticos, inventados em laboratórios, são apenas "parecidos" com os produzidos pelo organismo, por isso eles apenas "enganam" as células.
Não agem sem perigosos efeitos colaterais.
Muitos estudos mais tarde e a constatação: os hormônios sintéticos foram desenvolvidos com o objetivo de bloquear a ovulação, impedindo assim a gravidez, principal função das pílulas anticoncepcionais.
O uso desses mesmos hormônios, para repor a perda natural provocada pela menopausa, hoje sabe-se, foi um erro.
Erro que foi reconhecido e, lentamente, está sendo, cuidadosamente, corrigido.

Pesquisas mais profundas mostraram aos estudiosos que a reposição poderia, sim, ser feita sem efeitos colaterais tão graves, se fossem usados os hormônios naturais, isto é, hormônios que contêm a mesma forma dos produzidos pelo organismo.
Para se chegar a esta fórmula natural os cientistas partiram daqueles, extraído de plantas.

Os vegetais mais comumente usados, até hoje, para a extração dos fitoestrogênios são:

  • a soja - que deu origem ao Geneistein e ao Dadztein.
  • o inhame mexicano - o Mexican Yam.

Do inhame mexicano podem ser retirados hormônios naturais que têm a fórmula idêntica aos produzidos pelo organismo feminino. São eles:

  • o estradiol
  • o estrona
  • o estriol
  • a progesterona

É importante ressaltar que a progesterona é um hormônio grande amigo da mulher. Ela protege o aparelho cardiovascular, o tecido ósseo contra a osteoporose, o útero do câncer e dos miomas e o tecido glandular mamário.
Esta proteção acontece porque a progesterona se opõe ao efeito multiplicador do estrogênio e coloca em equilíbrio as células do útero e das mamas.

É também a progesterona a responsável pela redução da formação excessiva de insulina nesta fase da vida. O que, para nós, é bastante agradável porque é a insulina que abre a membrana da célula gordurosa para a entrada do açúcar e a transformação dele em gordura.
Daí impedir a aumento de peso durante a reposição.
Mas, atenção: não são todas as mulheres que sentem a vagina mais lubrificada nem têm reduzidas as ondas de calor somente com os fitoestrogenios.
Mas não desanime: com um bom médico e com a mudança de hábitos tudo pode ser resolvido saudavelmente.

Lembre-se sempre: é muito importante, durante a reposição hormonal natural, uma hora de exercícios físicos diários, alimentação adequada e uma dosagem, calculada pelo médico, de vitaminas e sais minerais, evitar bebida alcoólica e cigarro
É importante que você saiba que existem alguns grupos financeiros - que não têm credibilidade e respeito ao paciente, qualidades imprescindíveis a todo grupo empresarial que tem por principal objetivo curar e melhorar a vida dos seres humanos.

Esses grupos oferecem produtos que não deveriam ser consumidos.
Um bom médico com profundo entendimento em endocrinologia saberá aviar a sua receita e indicar o melhor produto para o seu caso.
Felizmente são muitos os nossos bons laboratórios farmacêuticos que têm feito grande esforço para se distanciarem, cada vez mais, dos maus comerciantes da saúde humana.
Mesmo com o crescente número de denúncias ainda estamos expostos a cair nas garras de muitos desses perversos mercadores de remédios.
Portanto, muita atenção na escolha do seu médico e sempre leia, atentamente o que diz a receita dos medicamentos aviados para você.

Se tiver dúvidas, ligue para o seu próprio médico, peça explicações, seja curiosa sempre.
Afinal é a sua saúde que está em jogo.
Muitos grupos começaram a chamar de hormônios femininos naturais os extraídos da urina de éguas prenhas.
Naturais, lógico que são, até porque são produzidos pelas éguas, mas eles têm uma função única: manter nutridas as placentas de eqüinos e não as nossas.
Pesquisas mostram que eles até podem ser eficazes na reposição hormonal em seres humanos, mas pagamos um alto tributo.

A progesterona sintética, também se mostra comprometedora. A constatação foi feita em estudos recentes. Cientistas nos mostram que ao invés de proteger o organismo da mulher a progesterona sintética faz com que aumente a incidência de câncer de mama além de ser um grande incentivador da depressão.
Estas informações foram publicadas no "New England Journal of Medicine" no início do ano 2000.

As mulheres que fazem a reposição com os hormônios naturais têm excelente proteção do aparelho cardiovascular e mais: o estrogênio aumenta a produção do HDL, que é o nosso colesterol bom, fazendo com que ele não se deposite nas paredes das artérias.
As boas ações do estrogênio vão ainda mais longe.
No cérebro, no sistema nervoso, ele reduz a incidência, ou retarda, o aparecimento da demência, que nós chamamos de falhas de memória.
Esta ação se deve, principalmente, ao estímulo do estrogênio na formação de uma substância denominada Fator de Crescimento do Nervo - NGF - nerve growth factor.

Essa substância ajuda no entrelaçamento e nas conexões das células nervosas, sobretudo nas do cérebro.
Assim ficam facilitados o conhecimento e o reconhecimento que caracterizam a cognição pela maior ligação entre as células.
A perda dessa "cognição" nos leva aos lapsos da memória, aos esquecimentos, tão constantes e comuns nas mulheres que chegam a uma "certa idade".
Nos ossos, tanto o estrogênio quanto a progesterona, estimulam a formação da matriz óssea, que recebendo cálcio na sua trama forma o osso novo.

A metabolização óssea é extremamente dinâmica.
Ao contrário do que se pensava há muito pouco tempo o osso não é estável, ele é formado e reabsorvido constantemente.
O desequilíbrio entre a formação baixa e a reabsorção alta vai levar a um osso poroso que com o tempo nos leva à osteoporose.
O equilíbrio ósseo é recuperado com o uso de hormônios na reposição hormonal, suplementação de cálcio e exercícios ao ar livre.
No aparelho genital feminino o estrogênio estimula as glândulas que fabricam a saúde e a elasticidade da camada interna, a mucosa, não só da vagina mas também da bexiga e da uretra, o que nos protege da vagina seca e da incontinência urinária.

Do ponto de vista psicológico o estrogênio torna a mulher receptiva ao ato sexual.
Enquanto isso, a testosterona, que é o principal hormônio masculino, mas que existe também na mulher, aumenta a libido.
Depois de uma bem orientada reposição hormonal natural Elisa e Clarisse não precisaram de muito tempo para recuperarem os prazeres que tinham se despedido delas sem a menor cerimônia.

Bastaram alguns poucos meses para que elas percebessem que um bom profissional da área da ginecologia, aliado fortemente a um da endocrinologia, podem trazer de volta a paz - aquela possível em nossos dias- o retorno das delícias de uma relação sexual sem medos, cheias de tesão, os sonhos e o reencontro com as noites que nos fazem acordar mais dispostas. Reencontros que chegam a cada dia, com mais intensidade.
Que tenha você também, um dia proveitoso e uma noite totalmente entregue aos bons deuses.

Ah! Não se esqueça de trocar seus lençóis: coloque um daqueles bem bonitos que você só usa em ocasiões especiais.
Mesmo que esteja sem o seu parceiro, invista em você.
Acredite em você.
Só você pode fazer crescer e acumular os seus momentos de felicidade.

Imprimr esta página