O homem e a maquina

Pesquisas com tecnologia avançada têm permitido, nas últimas décadas que novas teorias sejam desenvolvidas para explicar por quê e como o ser humano envelheceu. De tal maneira essas pesquisas evoluíram que medidas preventivas de prevenção podem atualmente ser adotadas contribuindo de modo eficaz para dilatar o tempo de vida da espécie humana e, o que é muito importante, gozando de saúde e exercendo plena capacidade de trabalho e criação.

A física avançada, a histo-química, a microscópica electrónica, as técnicas de radioimunoensaio e outras mais facilitaram gradamente os estudos dos componentes do organismo, favorecendo uma compreensão maior dos processos fisiológico desvendando, portanto, a fisiologia celular. E, desta maneira, os horizontes para a compreensão do funcionamento das células, órgãos e sistemas foram ampliados enormemente, ficando melhor definida e explicada a integração entre tecidos-ógãos-sistema. Hoje já se conhece a relação direta os sistema nervosos, imunológico e endócrino.

O advento da tecnologia avançada dos meios de diagnóstico através dos raios-X, da ultra-sonografia, da tomografia computadorizada, da ressonância magnética, as laparoscopia têm facilitado o diagnóstico precoce de doenças que anteriormente só eram descobertas irreversíveis mas o homem tem-se tornando ultimamente um prisioneiro da própria maquina, isto que vem delegando à esta o pensar, partindo desde das minúsculas maquinas de calculo ao programa sofisticado de computador.

Dizem alguns entendidos que a maquina está se humanizando, e o homem?; isto sem falar dos apetrechos curativos como a cirurgia endoscopica, a microcirurgia por microscópio eletrônico e a radiação estereotáxica.

Imprimr esta página